quarta-feira, 18 de julho de 2007

RIMSKI-KORSAKOV, Nikolai - CAPRICHO ESPANHOL - suite para orquestra, Op. 34

A obra é dividida em cinco partes:
1. Alborada (vivo e strepitoso)
2. Variações (andante con moto)
3. Alborada (vivo strepitoso)
4. Cena e canto cigano
5. Fandango asturiano.
Considerado o mais produtivo compositor de óperas de seu país, Rimski-Korsakov foi também exímio sinfonista e um dos maiores orquestradores de toda a história da música. Seu Tratado de Instrumentação, com exemplos tirados de suas próprias obras, é uma das bíblias sobre o assunto, junto ao de Berlioz.
O Capricho Espanhol, esta peça belíssima, surgiu quase de forma despretensiosa e, originalmente, para violino e orquestra - aliás, caráter que mantém até hoje. Korsakov a escreveu para distrair-se durante as árduas e penosas horas que empreendeu para concluir a ópera O Príncipe Igor.
Korsakov valeu-se de várias melodias encontradas na antologia de José Izenga Ecos de España, colección de cantos y bailes populares. Ele mesmo comentou em suas Crônicas de Minha Vida Musical: “Os temas espanhóis, sobretudo os de caráter dançante, deram-me rico material para conseguir efeitos orquestrais variados.” Sem jamais ter estado na Espanha, Korsakov sentia que o temperamento hispânico era próximo ao russo sob certos aspectos, sendo comum a ambos a influência orientalizante. Estreada em São Petersburgo a 31 de outubro de 1887, sob a regência do próprio Korsakov, o Capricho Espanhol foi uma das obras tocadas nos concertos russos de Paris, em 1889, dos quais o compositor participou ativamente.

3 comentários:

Anônimo disse...

Amei :D

Maestro disse...

Parabéns pelo Blog!
É um achado!
Obrigado

Marluce disse...

Lindíssimo esse capricho Espanhol.
O violino se destaca,com maestria.