segunda-feira, 11 de junho de 2007

HINDEMITH, Paul - Metamorfoses Sinfônicas

É uma das supremas obras do brilho orquestral sem vulgaridade. Música de exultação em clima de nobreza tipicamente germânica. Foi composta em 1943, tendo sua estréia no ano seguinte pela orquestra Filarmônica de New York, sob a regência de Arthur Rodzinsky.
Os temas de cada um dos quatro movimentos, de alguma forma se fundem, criando uma forma de variações sinfônicas, no entanto, estruturalmente é uma espécie de sinfonia. Os temas foram extraídos da obras de Carl Maria von Weber, embora nunca se apresentem na forma original de Weber, motivo do nome da obra: metamorfoses.
Primeiro movimento: Allegro. O tema inicial, baseia-se na quarta das Oito peças para piano a quatro mãos, Op 60, deixando instalar-se um tema de inspiração húngara, que o próprio Weber classificaria de “all ongarese” .
Segundo movimento: Scherzo. Inicialmente concebida para a Turandot de Schiller, baseado numa ária da Abertura Chinesa. Música de cena composta por Weber em 1809, para a produção da peça Carlo Gozzi, na qual se instala uma atmosfera exótica, e por vezes jazzística sugerida pela percussão. A configuração pentatônica do tema é respeitada.
Terceiro movimento. Andantino pastoral, de forma ternária, nasce a partir de uma de Seis Peças para piano a quatro mãos, Op. 10, evidenciando-se o solo de clarinete nas seções exteriores. Possui a forma de Lied A-B-A, trazendo um solo de flauta bem evidente.Quarto movimento: Marcha. Fundamenta-se novamente em uma das Oito Peças, Op. 60, sendo o virtuosismo orquestral baseado no motivo do quarteto de trompas. É uma ampliação dos três primeiros movimentos, na forma de variações.

Um comentário:

Biby Cletus disse...

Cool blog, i just randomly surfed in, but it sure was worth my time, will be back

Deep Regards from the other side of the Moon

Biby Cletus